O que você acha que os governantes deveriam priorizar? Ao contrário do que acontece com a política, não há polarização entre os brasileiros quando o assunto é mobilidade urbana: transporte público e transporte ativo (aquele realizado a pé ou de bicicleta) devem ser a prioridade. Esse foi o resultado de uma pesquisa realizada no final do ano passado em todo o Brasil pelo Instituto Clima e Sociedade e o Instituto Escolhas. A pesquisa mostrou que oito em cada 10 brasileiros votariam em governantes que fizessem propostas para melhorar o transporte público.

Esse resultado confirmou que, se as pessoas pudessem se deslocar com qualidade no transporte público, essa seria a primeira opção”, avalia Miriam Prochnow, pré-candidata da Rede ao Senado por Santa Catarina. Com uma atuação marcada pelo ativismo ambiental, Miriam acredita que esse resultado reforça o descolamento da atuação dos nossos atuais representantes no legislativo das reais vontades e necessidades da população. “A prioridade política de hoje, que privilegia carros e motos, piora a qualidade do ar e a saúde dos cidadãos, emite gases de efeito estufa e faz com que todos percam incontáveis horas no trânsito. Isso precisa mudar”, defende.

Prova disso é que 93% dos entrevistados apoiam a criação de faixas exclusivas para ônibus, enquanto 57% declaram-se favoráveis a restrição do espaço destinado ao estacionamento de carros nos centros urbanos, sempre com o intuito de melhorar a qualidade do transporte público.

A absoluta maioria da população é a favor da melhoria na qualidade do transporte público (98%) e na infraestrutura e políticas públicas para favorecer pedestres e ciclistas (96%), bem como à priorização de investimentos em transporte público ao invés de infraestrutura para carros (90%). A melhoria no transporte público também passa pela criação de incentivos fiscais para a troca da frota de ônibus nacional por ônibus elétricos, sem custo adicional para o usuário (94%), assim como a políticas que favoreçam a criação de faixas exclusivas de ônibus e integração tarifária (93%). “Essa é uma plataforma que sempre defendemos e está dada pela própria população. É papel do legislativo federal criar as condições para que essas expectativas aconteçam. É preciso haver vozes que tragam essas prioridades ao Congresso Nacional”, diz Miriam.

Segundo a pesquisa, os entrevistados têm uma clara intenção de votar em candidatos que proponham melhorias no transporte público, como a renovação da frota de ônibus (85%) e a expansão da malha de metrô e trem (82%). Similar é o apoio indicado aos candidatos que proponham recuperar calçadas e praças (86%) e construir ciclovias e ciclofaixas (84%).

Sobre a questão de mobilidade urbana, a pré-candidata acaba de postar também um vídeo no qual discute a questão com o professor João de Deus Medeiros, pré-candidato da Rede a deputado federal, onde mostram caminhos para que a população catarinense possa se apropriar ainda mais dessas questões.

Assista ao vídeo e compartilhe essa ideia!

Compartilhe